Press Kit

ENTREVISTA COM O GERENTE GERAL DA RECICLANIP

 
A importância da coleta e destinação adequada dos pneus inservíveis
 
Após atingir seu desgaste completo, um pneu se torna inservível. Como é material de longo processo de decomposição, ele não deve ser descartado no meio ambiente. Tem que ser recolhido e destinado de forma adequada ambientalmente. Depois de triturado, por exemplo, ele pode virar asfalto ecológico, pode ser usado como fonte de calor para cimenteiras ou pode virar um piso antiderrapante. A Reciclanip, única entidade do país voltada exclusivamente para a coleta e destinação de pneus inservíveis tem um papel fundamental para que esse ciclo de reciclagem possa ser realizado. A organização é hoje uma das maiores iniciativas de pós-consumo da indústria brasileira e já coletou e destinou adequadamente mais de 2,79 milhões de toneladas de pneus inservíveis, o equivalente a 558 milhões de unidades de pneus de carro de passeio. Para dar mais detalhes sobre o assunto e entender a importância da reciclagem de pneus, César Faccio, Gerente Geral da Reciclanip, concedeu a entrevista abaixo.

O que é a Reciclanip?

A Reciclanip é uma entidade cujo objetivo é coletar e destinar de forma ambientalmente adequada os pneus que não podem mais ser usados para rodagem. Ela foi criada em 2007 para consolidar o Programa Nacional de Coleta e Destinação de Pneus Inservíveis, criado em 1999 pela Associação Nacional da Indústria de Pneumáticos (ANIP), entidade que representa os fabricantes de pneus novos. As atividades da entidade atendem a resolução 416/09 do CONAMA, que regulamenta a coleta e destinação dos pneus inservíveis no Brasil.

A Reciclanip compra ou vende pneus inservíveis?

Não. A Reciclanip é uma entidade sem fins lucrativos, por isso não compra e não vende pneus. Seguindo o modelo de gestão de empresas européias, com larga experiência na coleta e destinação de pneus inservíveis, a Reciclanip é diferente no quesito remuneração: enquanto essas empresas são pagas pelos vários agentes da cadeia produtiva para cobrir as despesas operacionais e garantir a destinação de pneus em seus países, no Brasil, os fabricantes de pneus novos, representados pela ANIP, arcam com todos os custos de coleta e destinação dos pneus inservíveis, como transporte, trituração e destinação. Desde 1999, os fabricantes de pneus já investiram mais de R$ 560 milhões no programa (dado até março de 2014). Para o ano de 2014, o investimento previsto é de R$ 99 milhões.

Como é feita a coleta dos pneus inservíveis?

O programa é desenvolvido por meio de parceiros, na maioria dos casos com prefeituras, que cedem um terreno dentro de normas específicas de segurança e higiene. Este local é usado para recolher e armazenar o material vindo de origens diversas, como borracharias, revendedoras e dos próprios cidadãos.

O responsável pelo Ponto de Coleta comunica a Reciclanip sobre a necessidade de retirada do material quando atinge a quantidade de 2.000 pneus de passeio ou 300 pneus de caminhões. A partir daí, a Reciclanip programa a retirada do material com os transportadores conveniados.

Até março de 2014, a Reciclanip coletou mais de 109 mil toneladas de pneus inservíveis. Desde o início do Programa Nacional de coleta e Destinação de Pneus Inservíveis, em 1999, tiveram o destino ambientalmente correto o equivalente a mais de 558 milhões de pneus de passeio. Para saber onde levar os pneus inservíveis é só consultar a lista com todos os pontos de coleta que está no site www.reciclanip.com.br. Atualmente, são mais 819 pontos.

Quais as exigências para um parceiro que quer montar um ponto de coleta em seu município?

É importante que a área do ponto de coleta seja coberta e protegida, a fim de se evitar o acúmulo de água ou mesmo a entrada de pessoas não autorizadas.

Depois que a Reciclanip coleta um pneu, para onde ele vai?

Após coletado, o pneu vai para trituração e pode ser reaproveitado de diversas formas, como combustível alternativo para as indústrias de cimento ou para combustível de caldeiras, na fabricação de asfalto ecológico, solados de sapato, em borrachas de vedação, pisos para quadras poliesportivas, pisos industriais e tapetes para automóveis.

Todas estas destinações são aprovadas pelo IBAMA como destinações ambientalmente adequadas. Hoje, grande parte dos pneus coletados vai para combustível alternativo usado para as cimenteiras, que recebem um pagamento da Reciclanip para usar o material e, com isso, dar uma destinação adequada. Para que seja ambientalmente correta, a queima deste material nas cimenteiras é cerca de todos os cuidados ambientais necessários, com o uso de filtros especiais, por exemplo.

Quais riscos para o meio ambiente no caso de pneus descartados de forma errada?

Os pneus inservíveis descartados de forma errada contribuem para entupimentos de redes de esgoto e enchentes, poluição de rios e ocupam um enorme volume nos aterros sanitários e podem ainda ser foco para o mosquito da dengue. Se queimados de forma errada, geram poluição atmosférica. Um pneu costuma demorar mais de 150 anos para se decompor. Por isso, é fundamental investir em sua reciclagem. Ele não pode ser descartado na natureza.

A importância da coleta e destinação adequada dos pneus inservíveis
 
Após atingir seu desgaste completo, um pneu se torna inservível. Como é material de longo processo de decomposição, ele não deve ser descartado no meio ambiente. Tem que ser recolhido e destinado de forma adequada ambientalmente. Depois de triturado, por exemplo, ele pode virar asfalto ecológico, pode ser usado como fonte de calor para cimenteiras ou pode virar um piso antiderrapante. A Reciclanip, única entidade do país voltada exclusivamente para a coleta e destinação de pneus inservíveis tem um papel fundamental para que esse ciclo de reciclagem possa ser realizado. A organização é hoje uma das maiores iniciativas de pós-consumo da indústria brasileira e já coletou e destinou adequadamente mais de 2,79 milhões de toneladas de pneus inservíveis, o equivalente a 558 milhões de unidades de pneus de carro de passeio. Para dar mais detalhes sobre o assunto e entender a importância da reciclagem de pneus, César Faccio, Gerente Geral da Reciclanip, concedeu a entrevista abaixo.
 

O que é a Reciclanip?

A Reciclanip é uma entidade cujo objetivo é coletar e destinar de forma ambientalmente adequada os pneus que não podem mais ser usados para rodagem. Ela foi criada em 2007 para consolidar o Programa Nacional de Coleta e Destinação de Pneus Inservíveis, criado em 1999 pela Associação Nacional da Indústria de Pneumáticos (ANIP), entidade que representa os fabricantes de pneus novos. As atividades da entidade atendem a resolução 416/09 do CONAMA, que regulamenta a coleta e destinação dos pneus inservíveis no Brasil.

A Reciclanip compra ou vende pneus inservíveis?

Não. A Reciclanip é uma entidade sem fins lucrativos, por isso não compra e não vende pneus. Seguindo o modelo de gestão de empresas européias, com larga experiência na coleta e destinação de pneus inservíveis, a Reciclanip é diferente no quesito remuneração: enquanto essas empresas são pagas pelos vários agentes da cadeia produtiva para cobrir as despesas operacionais e garantir a destinação de pneus em seus países, no Brasil, os fabricantes de pneus novos, representados pela ANIP, arcam com todos os custos de coleta e destinação dos pneus inservíveis, como transporte, trituração e destinação. Desde 1999, os fabricantes de pneus já investiram mais de R$ 560 milhões no programa (dado até março de 2014). Para o ano de 2014, o investimento previsto é de R$ 99 milhões.

Como é feita a coleta dos pneus inservíveis?

O programa é desenvolvido por meio de parceiros, na maioria dos casos com prefeituras, que cedem um terreno dentro de normas específicas de segurança e higiene. Este local é usado para recolher e armazenar o material vindo de origens diversas, como borracharias, revendedoras e dos próprios cidadãos.

O responsável pelo Ponto de Coleta comunica a Reciclanip sobre a necessidade de retirada do material quando atinge a quantidade de 2.000 pneus de passeio ou 300 pneus de caminhões. A partir daí, a Reciclanip programa a retirada do material com os transportadores conveniados.

Até março de 2014, a Reciclanip coletou mais de 109 mil toneladas de pneus inservíveis. Desde o início do Programa Nacional de coleta e Destinação de Pneus Inservíveis, em 1999, tiveram o destino ambientalmente correto o equivalente a mais de 558 milhões de pneus de passeio. Para saber onde levar os pneus inservíveis é só consultar a lista com todos os pontos de coleta que está no site www.reciclanip.com.br. Atualmente, são mais 819 pontos.

Quais as exigências para um parceiro que quer montar um ponto de coleta em seu município?

É importante que a área do ponto de coleta seja coberta e protegida, a fim de se evitar o acúmulo de água ou mesmo a entrada de pessoas não autorizadas.

Depois que a Reciclanip coleta um pneu, para onde ele vai?

Após coletado, o pneu vai para trituração e pode ser reaproveitado de diversas formas, como combustível alternativo para as indústrias de cimento ou para combustível de caldeiras, na fabricação de asfalto ecológico, solados de sapato, em borrachas de vedação, pisos para quadras poliesportivas, pisos industriais e tapetes para automóveis.

Todas estas destinações são aprovadas pelo IBAMA como destinações ambientalmente adequadas. Hoje, grande parte dos pneus coletados vai para combustível alternativo usado para as cimenteiras, que recebem um pagamento da Reciclanip para usar o material e, com isso, dar uma destinação adequada. Para que seja ambientalmente correta, a queima deste material nas cimenteiras é cerca de todos os cuidados ambientais necessários, com o uso de filtros especiais, por exemplo.

Quais riscos para o meio ambiente no caso de pneus descartados de forma errada?

Os pneus inservíveis descartados de forma errada contribuem para entupimentos de redes de esgoto e enchentes, poluição de rios e ocupam um enorme volume nos aterros sanitários e podem ainda ser foco para o mosquito da dengue. Se queimados de forma errada, geram poluição atmosférica. Um pneu costuma demorar mais de 150 anos para se decompor. Por isso, é fundamental investir em sua reciclagem. Ele não pode ser descartado na natureza.

Continuar Lendo